Av. Ipiranga, 7931 - 2º andar
Partenon - Porto Alegre/RS Cep: 91530-001
(51) 3061-7346 uniproceee@uniproceee.com.br
Social
07/12/2020
Governo pode realizar até oito leilões de Geração em 2021

Sete deles serão de contratação de energia nova e existente, e a há a possibilidade de um leilão de reserva de capacidade O governo planeja realizar em 2021 leilões dos tipos A-3, A-4, A-5 e A-6, com a retomada dos certames que foram suspensos este ano em razão da pandemia do coronavírus. O calendário anunciado em entrevista coletiva do 
ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, inclui ainda o leilão para suprimento aos sistemas isolados e a possibilidade de contratação de reserva de capacidade, caso o planejamento considere necessário.O MME vai alterar as diretrizes dos certames do ano que vem para retirar a restrição de inflexibilidade de 50% para todas as fontes termelétricas. Poderão participar das disputas tanto usinas flexíveis quanto as que são 
totalmente inflexíveis. A medida é parte do acordo efeito pelo governo com lideranças do Senado para garantir a aprovação da Lei do Gás sem alterações em relação ao texto que veio da Câmara. O MME também vai reabrir os prazos de cadastramento de empreendimentos.Para junho do ano que vem, estão previstos o A-4 e o A-5 de energia 
existente, destinados à contratação de térmicas a carvão e a gás natural para substituir usinas a diesel com contratos que vencerão entre 2023 e 2027. Poderão participar também empreendimentos existentes que realizarem a troca de combustível de óleo para gás natural.A diretrizes dos leilões de energia nova A-3 e A-4 serão publicadas em 
janeiro. Os certames previsto para abril são destinados a contratação energia de empreendimentos hidrelétricos, eólicos, solares e térmicos a biomassa.Em abril, deve acontecer também o leilão para suprimento a 22 localidades isoladas nos estados do Acre, Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima. O edital está em consulta pública na Aneel.Estão previstos ainda leilões de energia nova do tipo A-5 e A-6 em setembro, para a contratação de energia de hidrelétricas, eólicas, usinas solar fotovoltaicas e térmicas a partir da recuperação energética de resíduos sólidos urbanos. Estão previstas também térmicas a biomassa, a carvão mineral e a gás natural. O governo pode ainda realizar no segundo semestre do ano que vem um leilão para contratação de reserva de 
capacidade.O calendário volta ao normal em 2022 e 2023 com o leilão A-4 realizado em 
abril e o A-6 em setembro, com possibilidade da contratação em leilões anuais de reserva de capacidade.

SUELI MONTENEGRO, DA AGÊNCIA CANALENERGIA, DE BRASÍLIA, 07/12/2020